Microagulhamento como tratamento para o melasma

Estar com a pele esteticamente perfeita é motivo de preocupação para muita gente e, principalmente, para as mulheres.

Algumas correções podem ser feitas nas manchas que aparecem com a idade ou por exposição da pele aos agentes danificadores. Deve-se, então, procurar um dermatologista para saber o motivo do aparecimento da mancha, qual sua gravidade e estar ciente dos possíveis tratamentos.

Uma das causas para o aparecimento de manchas pode estar relacionada ao melasma, definido como um distúrbio pigmentar causador de manchas acastanhadas mais escuras do que o tom da pele.

Para entendermos como se desencadeia o melasma, é interessante sabermos que a constituição da pele humana ocorre com a interação de diversas substâncias, sendo uma delas a melanina – responsável pela pigmentação e proteção no combate à radiação solar.

O excesso da produção dessa substância provoca manchas, desenvolvendo o melasma.

Entre os principais suspeitos causadores do desencadeamento do distúrbio está a exposição da pele à luz solar, alterações hormonais, tendência genética e o contato direto com a poluição. Isso porque tais fatores auxiliam, historicamente, na produção irregular de melanina.

Especial atenção deve ser dada ao assunto com o intuito de prevenir o aparecimento de mais manchas. Por isso, é recomendado o uso diário do protetor solar e a constante limpeza da pele, principalmente do rosto. Lave-os sempre que necessário!

O melasma não é prejudicial à saúde, mas o desconforto é devido ao aparecimento das manchas, geralmente, em partes visíveis, como o rosto.

Atualmente existem algumas opções de tratamento para o distúrbio pigmentar, dentre eles o método do microagulhamento.

O tratamento para o melasma é geralmente recomendado pelo dermatologista entre 1 a 3 sessões. O preço varia entre R$ 400,00 a R$ 600,00 por sessão.

O processo desse tratamento se dá por meio da estimulação da pele quando em contato com as agulhas que, por vezes, são muito finas – quase imperceptíveis a olho nu.

Esta técnica realiza microperfurações no tecido cutâneo capazes de iniciar um processo de inflamação na área aplicada, estimulando as células responsáveis pela produção do colágeno (proteína que compõe a estrutura da pele).

O microagulhamento, ao ser comparado com outros tipos de tratamento para o melasma, apresenta resultados bem mais significativos na redução das manchas, garantindo a satisfação do paciente.

A dor durante as sessões é relativa, dependendo de cada caso. Se preferível, existe a opção da aplicação de anestesia.

É normal que logo após a sessão a área de aplicação do microagulhamento apresente vermelhidão e inchaço. O nível varia conforme a aplicação da concentração exigida na avaliação feita pelo dermatologista.

Para um melhor resultado, o profissional pode indicar o uso de cremes clareadores para serem usados durante o tratamento.

Um procedimento seguro requer sessões em locais apropriados e com profissionais especializados. É recomendável que pacientes procurem um dermatologista para realizar uma avaliação e fazer as contraindicações inerentes a cada caso.

Você já fez o tratamento de microagulhamento ou conhece alguém que tenha feito? Conte-os sobre o resultado! Deixe seus comentários e compartilhe este artigo em suas redes sociais.

benefícios do microagulhamentolifting facial sem cirurgia